A ANPC em associação com o Ministério da Educação e Ciência e Câmara Municipal de Lisboa, integrando-se no programa de que assinala 260 anos do Terramoto de 1755 (considerado como um dos mais destrutivos), organizou um conjunto de iniciativas importantes a fim de reforçarem a nossa memória histórica e a consciência coletiva em relação ao risco sísmico do nosso território. Um estudo realizado pela Autoridade Nacional para a Proteção Civil (ANPC), em 2007 refere que um sismo de 6,6 com origem na região de Lisboa causaria cerca de 10mil mortos e 273mil desalojados.

A fim de sensibilizar os cidadãos para o risco sísmico e para os procedimentos a adotar, a ANPC desafiou os portugueses a participarem num exercício que pode salvar a vida em caso de sismo, sendo que mais de 250 mil pessoas responderam positivamente, desde escolas a empresas, passando por particulares.

Assim, no dia 6 de novembro, às 11.06, a simulação visou sensibilizar as diferentes comunidades para a preparação e autoproteção para o risco sísmico. Para além dos gestos de proteção a exercitar no minuto definido para o exercício, visou alertar e sensibilizar os cidadãos para o risco sísmico e para os procedimentos a adotar antes, durante e após um sismo.

Deste modo, todas as pessoas foram convidadas a participar no exercício nacional, e efetuar os três gestos básicos de proteção em caso de sismo:

Baixar – baixar sobre os joelhos, esta posição evita que possa cair durante o sismo, mas permite mover-se;
Proteger – proteja a cabeça e o pescoço com os braços e as mãos e procure abrigar-se, coloque-se se possível sob uma mesa resistente, e segure-se à mesma firmemente;
Aguardar – aguarde até a terra parar de tremer.

view all